16 de out. de 2019

Serendipity

Passamos um ao lado do outro na calçada, focados em nossas telas de celular, entretidos nos aplicativos. Foi bem ali, quase onde a rua da improvável floricultura encontra com a do café. Por dentro, carregávamos inúmeros pontos em comum e interessantes diferenças complementares.

Poderíamos ter trocado olhares, um sorriso tímido de canto de boca, puxado alguma conversa e tomado um drink com bate-papo ali pertinho, no número 168. Mas não estávamos nas telas um do outro. Apenas na calçada. E não levantamos nossas cabeças. Talvez eu tenho sentido seu perfume na brisa leve daquele dia e achado interessante. E isso foi toda a nossa relação, esses foram os sentidos explorados, embora eu tenha me apaixonado por essa ficção.

 

Nenhum comentário: